Arritmias Cardíacas

Você está sabendo diagnosticar as arritmias cardíacas de seus pacientes?

Estudos clínicos indicam que boa parte dos pacientes é sub-diagnosticado em relação a arritmias cardíacas. Muitas vezes sintomas como tontura, palpitações, turvação visual, síncopes e mal estar são erroneamente diagnosticados como stress, ansiedade, fadiga e excesso de trabalho.

Grande parte das arritmias não pode ser diagnosticado simplesmente com exame clínico e um eletrocardiograma. É importante monitorizar o ritmo cardíaco por 24 horas para conseguir um diagnostico preciso.

Sabemos que a maioria dos sintomas e eventos cardíacas ocorrem em ambiente extra-hospitalar e ao chegar ao pronto socorro ou consultório médico não é mais possível flagrar a arritmia.

Fatores como longevidade, stress, obesidade, excesso de trabalho, falta de tempo para o lazer, tabagismo, dislipidemia fazem aumentar a incidência de arritmias em nossos pacientes.

O risco de AVC é grande em pacientes com fibrilação atrial e cerca de 10% dos idosos possuem esta arritmia.

Atletas profissionais também têm risco de arritmia (bradicardia, bloqueios AV e taquicardia ventricular).